Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Revisar a Reforma Trabalhista não é "atraso", é avanço civilizatório

Os defensores da Reforma Trabalhista de Michel Temer estão chamando quem se coloca a favor da revisão como “atrasado”.   Essa turma acha moderno uma reforma que colocou gestante para trabalhar em local insalubre, que possibilita trabalhador ganhar menos que um salário mínimo, que enfraquece a negociação coletiva, que asfixia sindicato, que permite fraudes na homologação e que autoriza “in pejus” contra os trabalhadores – rasgando a legislação construída pelos próprios congressistas.   Estão agindo, de forma coordenada, neoliberais e bolsonaristas para defender o indefensável.   A Reforma Trabalhista NÃO gerou empregos. A renda média do trabalhador brasileiro despencou. A informalidade explodiu. E os direitos trabalhistas são rasgados todos os dias por patrões sócios desse consórcio. O ideal é a revogação completa da Reforma Trabalhista.   E a partir da legislação anterior, fazermos uma reforma que, de fato, responda aos novos modelos de trabalho e as necessidade

Últimas postagens

O fim da demissão sem justa causa?

Lula herda rombo de R$ 255 bi do governo Bolsonaro e faz pente-fino em contratos

CASO AMERICANAS: Centrais ajuízam ação civil pública

Visando debater a situação dos trabalhadores das Americanas, Ministro do Trabalho se encontrará com sindicalistas

Decreto estrutura organização do Ministério do Trabalho e Emprego

Marinho defende nova legislação trabalhista ao tomar posse no MTE

Centrais conclamam sindicatos a protegerem Estado de Direito

Senadora Soraya Thronicke pede CPI para investigar atos golpistas

Datafolha: 93% condenam ataques golpistas e maioria defende prisões